10 de fev de 2016

Vamos nos Amar!

Constantemente a mídia, seja na tv, revistas, jornais, sites, nos vende a imagem da mulher perfeita. Mulher aquela magra, alta, de cabelo liso, pernas lisas e torneadas, bumbum durinho e lisinho. Tentam nos vender o corpo perfeito para ir à praia, corpo aquele que tem a barriga chapada. Tentam nos vender a mulher linda que só é linda porque está com maquiagem.

Por essas coisas que a mídia e a sociedade nos impõe, tentam empurrar goela abaixo, faz com que a maioria das mulheres sejam inseguras com seu corpo, não gostam do que vêem no espelho, se submetem a dietas malucas, a cirurgias plásticas, maquiagens, químicas pesadas no cabelo, tudo isso para ser a mulher perfeita que a mídia vende, que a sociedade cobra.

Sim, a sociedade nos cobra muito! Cobra para que tenhamos a sobrancelha sempre feita, depilação em dia, pele lisa, macia e cheirosa, magras, cabelo liso. Alguns podem falar que não é tanto assim, mas é sim! Nós crescemos vendo e escutando isso! Vejam quantos produtos de beleza existem para mulher! "Ah, mas só tem porque as mulheres consomem, se não comprassem, não teria!", falou o homem... Por que será que as mulheres compram? Talvez porque a sociedade diz que nós temos que nos cuidar sempre. Talvez porque a sociedade diz que nós não podemos envelhecer. Talvez porque a sociedade diz que não podemos ter rugas. Talvez porque a sociedade diga que temos que ser perfeitas para o bel prazer masculino.

Eu confesso que não gostava do meu corpo. Me achava gorda, não gostava das minhas pernas e sabia que jamais teria o corpo de uma brasileira perfeita porque meu biotipo é diferente. Mas ao conhecer o feminismo, as coisas mudaram, aprendi que não tenho que ser a perfeição que a mídia/sociedade vende, eu sou perfeita com as minhas imperfeições! Essas minhas características são só minhas e por isso me fazem única!

A beleza do feminismo é isso, ele ensina as mulheres a se amarem como são, que aquilo que sempre foi dito que é feio, não tem nada de feio, ele é perfeito!

Por isso, vamos nos amar como somos, como fomos feitas. Cada uma de nós é única e especial nesse mundo cruel em que vivemos.

Você é linda seja branca, negra, asiática, vermelha. Quer continuar a usar maquiagem? Continue! Quer se abdicar? Tem o total apoio das manas! Quer continuar a se depilar? Ok. Quer cultivar os pelinhos? Ok, também! O importante é se amar e saber que você é PERFEITA! 

9 de fev de 2016

Recado para os Homens Cis*



Tenho um pequeno recado para os homens cis*

Fui chamada de BURRA ao discordar que a ciência é maior que a vivência. Pois bem, um pequeno recado:

Eu NUNCA vou aceitar que deslegitimem a minha vivência com base em "estudos", ninguém tem direito disso, só eu sei o que vivi e vivo!
Homens nunca saberão o que é trabalhar a mesma carga horária, fazer o MESMO serviço e receber menos.
Homens nunca saberão o que é ter medo de andar na rua com medo de ser violentada e ainda ser culpabilizada.
Homens nunca saberão o que é ser assediada em TODO lugar, independente da roupa que está usando.
Homens nunca saberão o que é ser dona de comércio e não ter a sua voz ouvida.
Homens nunca saberão como é rebolar todos os dias para desvencilhar de "cantadas" dos clientes.
Homens nunca saberão como é ser tratado rispidamente ao negar desconto.
Homens nunca saberão como é ser dona do comércio e mesmo assim o cliente pedir pra falar com o "homem da casa".
Homens nunca saberão como é ser destratada por um cliente e este, ao vir o "homem da casa" (meu irmão no caso) tratar ELE como camarada.
Homens nunca saberão como é ser chamada de P*** porque negou fazer um serviço.
Homens nunca saberão como é escutar que preciso de um homem para estar segura.
Então, sim, vou continuar a rebater que ciência não é maior que a vivência! Não tem nenhuma cartilha que vá ensinar ao homem cis o que é estar na pele de uma mulher!
Sem vir com "nem todo homem" ou com a desculpa de ser gay porque ser gay não te isenta de ser misógino, não te isenta de NADA!

*Cis: pessoa que se identifica com o gênero designado em seu nascimento. 



8 de fev de 2016

Local de Fala




Tenho visto muitas pessoas confundindo sobre o que é local de fala. Não se se estão se confundindo ou se fazendo de sonsos, mas enfim... 

"Não existe local de fala! Isso é besteira! Isso é uma discussão! Não preciso ser negro para ser contra o racismo! Não preciso ser gay para ser contra a homofobia! Não preciso ser mulher para ser feminista! Isso é segregação!"

Quando alguém que não sofre determinada opressão, ela não pode falar daquilo com propriedade, não pode "expor" opinião daquilo que não sofre. Realmente, você não precisa fazer parte do oprimido para ser contra, mas precisa ser oprimido para falar sobre. Afinal, como você vai falar sobre aquela opressão que você não sofre na pele? Ouvindo falar? Lendo dados? Nada disso chega perto daquilo que o oprimido, realmente, sente.

As pessoas confundem o não poder falar sobre determinada opressão com perguntar. Perguntar é lógico que pode, desde que não seja deboche e nem faça o oprimido de Google. E você perguntar, não quer dizer que o oprimido tem a obrigação de te explicar, viu? Oprimido tem 0 obrigação de ser didático com opressor, tem 0 obrigação de ser amorzinho com opressor.

Ao contrário do que gostam de falar, pedir respeito ao local de fala, não é segregação. É pedir que o opressor escute caladinho a voz do oprimido, aprenda sobre a partir da voz dele! 

Ah, ter pai, avó, avô, amigos, primos não te isenta de ser racista, viu? Se você os usar para furar local de fala, estará fazendo token, ou seja, você se apropria de uma opressão (ou minoria) que não faz parte da sua vivência para justificar, defender ou explicar o seu ponto de vista. Você não tem o direito de usar uma minoria para se defender das acusações de racismo. 
Ser gay também não te isenta de ser machista misógino, ok? Ok. 

Jamais diga para o oprimido que a ciência é maior que a vivência, tá? Porque isso não faz o menor sentido! Você não pode usar o que leu para silenciar aquele que vive a opressão. Acredito que isso soa como ofensa! Dia desses um cara me chamou de burra por falar que discordo que ciência maior que a vivência. Eu JAMAIS vou aceitar que deslegitimem minha vivência com base em estudos! 

Enfim, quer desconstruir? Respeita o local de fala que sai todo mundo ganhando =)