30 de nov de 2014

Pensando...


Eu sempre estou pensando em um monte de coisas, banais ou não. Uma hora estou pensando nos meus gatos, depois travando um diálogo comigo mesma e depois pensando no Fred Elboni (sim, pode acontecer xD). Mas uma coisa que sempre penso é nessas de algumas pessoas acharem que tenho obrigação de algo para, por, sobre elas. Tipo... Não!

Eu não sou obrigada a gostar de você, assim como você não é obrigado a gostar de mim, exijo apenas respeito.

Não acho que as pessoas tem obrigação de fazer algo só para agradar alguém. Faça se gosta realmente daquilo, se realmente quer fazer aquilo. Exemplo: todo mundo sabe que eu não terminei o ensino médio, mas isso não me faz inferior a ninguém. Mas se um dia eu arranjar um namorado e este ficar insistindo, me enchendo o saco, ou o pior, dizer por mim que vou fazer uma faculdade, acho que tenho uma conversa muito séria ou mando pastar. Parece pouco mandar pastar por isso? Não sei, o cara não está respeitando minha decisão, minha vontade, então por quê mesmo que eu ficaria com ele? Se ele me ama que diferença vai fazer eu ter um diploma? Eu jamais faria uma faculdade só para agradá-lo. Não gastaria tempo e dinheiro por ele. Eu faria só se eu, realmente, quisesse. Eu faço sempre se eu quero, não pelo os outros.

Uma vez um amigo ia falar uma coisa, enrolou e abaixou a cabeça. Forcei ele a falar e ele confessou que ficava com receio de eu fazer ou falar que gostei de algo só para agradá-lo. Olhei nos olhos dele e falei com todas as letras "Fulano, uma coisa que você tem que saber sobre mim: eu nunca faço algo apenas para agradar alguém. Só faço se eu quero. Só falo que gostei, se realmente gostei, ok?".

Na verdade, eu não entendo algumas pessoas que tem a necessidade de agradar todo mundo e as pessoas que parecem ter a necessidade de obrigar as pessoas fazerem tudo que ela quer. Sei lá, não passa pela minha cabeça. Quem ler pode até achar que estou sendo mal educada, rude, mas não, cara... Eu, até onde me lembro, nunca tive a necessidade de agradar as pessoas. Vide o episódio com a professora da escolinha: ela queria que pintasse a banana de amarelo e eu pintei de preto. depois me lasquei porque ela passou a me ignorar

Se um dia eu fizer para agradar é porque amo a pessoa e farei de bom grado,logo, será pela minha boa vontade.

23 de nov de 2014

Chocolate


Quem lê o título acha que vou falar maravilhas do chocolate, que vou me acabar de falar o quanto gosto dele e tal. Mas não é nada disso xD

Eu não gosto de chocolate. Tá, não que eu não gosto, não sou muito amiga, só. Às vezes me dá vontade, uma vontadezinha pequena, como um pedacinho e pronto. Não ligo nem para ovo de páscoa. Lembro que até falei para o ser que não me desse chocolate porque não curto xD Se quer me agradar, não dê chocolate porque vai ser um erro!

Ontem tive uma conversa engraçada com meu irmão, foi assim:
Irmão: "Yayoi, você também é como, a maioria das mulheres, que adoram chocolate?"
Eu: "Não. Não sou muito amiga de chocolate. Não vejo muita graça"
Irmão: "Hm... Você é diferente mesmo da maioria, né? Todas, ou quase todas, minhas amigas amam chocolate, a Cris também adora. Elas dizem que relaxa!"
Eu: "Bom, pra mim não faz efeito algum. Nem mesmo na TPM fico com vontade de me entupir de porcaria!".
Eu achei bem engraçado, sabe. A maneira que ele falou. Perguntei o por quê da curiosidade e ele falou que por nada, só quis saber já que nunca me viu comendo chocolate à toa. Para falar a verdade, tô comendo cada vez menos doce =) Só o refrigerante que está um pouco difícil de largar... 

Engraçado até o fato dele ter dito que eu sou diferente da maioria! 

Sabe que eu não entendo esse negócio do chocolate? Aliás, eu não entendo nem esse negócio em que na TPM, a mulher sente vontade de se entupir de doce. Eu não sinto essas vontades, nunca senti. 

Eu não curto chocolate, já minha irmã xD Ela se acaba no chocolate! Na época da páscoa ela se esbalda! E nem deveria, já que estuda nutrição xD

Enfim, era só isso que queria falar: não sou amiga de chocolate! =)

Off: fiz um trato com uma amiga! Vou fazer valer!! ;)

22 de nov de 2014

Ainda te Espero


Tem um blog que eu sempre leio, o Entenda osHomens, tem uns textos bem legais e interessantes de vários colunistas, fora os vídeos do dono do blog, o Frederico Elboni, autor do livro “Um Sorriso ou Dois”. E eis que ontem, li um texto que bateu de frente comigo! Aliás, todos os textos dessa colunista me identifico. Parece até que ela está me observando xD

E então, depois de ler o texto em questão, me inspirou e escrevi esse texto a seguir:

"O que me dá mais raiva disso tudo é que não consigo sentir raiva de você e isso faz com que eu sinta raiva de mim por ser tão idiota...

Sempre me pego pensando no que aconteceu, nos momentos ótimos que passamos, tudo que foi dito e sentido. Fico pensando se tudo que você me proporcionava, eu também proporcionava para você. Se todas as sensações que eu sentia, você sentia também.

Às vezes parece que tudo foi um sonho, devido a intensidade e rapidez que tudo aconteceu. Foi apenas 2 meses, mas parece que foi bem mais.

Mas e aí? E agora? Fico pensando pra onde foi tudo aquilo... Como algo pode ter acabado? Ou pior, um “fim” não terminado de verdade.

Estou tentando caminhar para o desapego, mas está sendo difícil. Ainda mais pelos sonhos estranhos que tenho tido. Não quero ficar lembrando dos sonhos, mas alguns estão sendo tão realistas que não tem como não lembrar.

Querendo ou não, você vai ficar marcado para sempre. Sou idiota em ficar lembrando do passado, querendo reviver o passado, me humilhando para você. Preciso de mais amor próprio.

Não sei bem o que é, se é pelo simples fato de você ter sido o primeiro homem a, realmente, me tratar bem. Por você ter sido o primeiro a corresponder meus sentimentos e superar minhas expectativas. Por ter sido meu primeiro homem... Só sei que algo muito grande me prende. Falta de amor próprio? Talvez... Mas sei que tem algo que ainda preciso decifrar...


Eu sei que estou me machucando sozinha nisso, mas enquanto tiver uma pontinha de esperança, vou acreditar. Boba, insegura... Eu sei..."

E aí? =x 

Fui doidona o suficiente para mandar isso para o Fred e para colunista! Não sei se eles lerão, mas enfim =)

20 de nov de 2014

Eu e minhas esquisitices


Todos temos esquisitices. Quem disser que não, já vou achar que é um tipo de esquisitice xD Todo mundo tem das suas manias que, ás vezes, nem a gente mesmo entende o por quê disso.

A minha lista de algumas esquisitices:

- Quando vou comprar algo, só compro número par ou múltiplo de cinco. Logicamente que com roupa e sapato não funciona essa “lógica”. É só com comida.

- Não sou amiga de número ímpar (só se for múltiplo de cinco), mas quando vou reservar lugar no ônibus de viagem, acabo pegando número ímpar porque gosto de sentar na janela e tem que ser do lado direito. Nunca cheguei a comprar do lado esquerdo, mas acho que vou ficar inquieta XD

-Pés, simplesmente ODEIO. Ninguém tem a permissão de tocar nos meus pés. NINGUÉM. Nem mesmo minha mãe pode fazer isso. Não gosto que encostem o pé em mim e nem que deixe perto. Se for colocar a perna no meu colo, não fique mexendo o pé e muito menos os dedos.

- Quando fazia balé, sempre que eu via uma coreografia, fazia a contagem. Era ridículo xD

- Minha bolsa parece bolsa de mãe: tem toalhinha, remédio, band-aid, lenço de papel. Remédio e lenço de papel comecei a carregar depois de um certo alguém.

- Falo sozinha e não tenho vergonha de admitir! Juro que não sou louca, tenho uma explicação para isso: eu cresci sozinha, sem companhia o dia todo, logo, tinha que falar sozinha. Então que cresci e não consegui acabar com essa mania!

Agora só me lembro desses... Com certeza tem mais, mas acho que por enquanto esses tá bom xD


Acho completamente normal cada um ter sua esquisitice. Que, aliás, só é esquisitice aos olhos dos outros, não pra pessoa em questão. Apesar de que acho estranha essa minha coisa por números pares e múltiplos de cinco xDD

10 de nov de 2014

Lembranças


Todos nós temos guardados as lembranças boas e as ruins. Tenho muitas lembranças ruins e traumáticas da minha infância, por isso digo que prefiro a minha vida adulta. Lembranças ruins desde eu ver coisa feia, passar por ser excluídas das brincadeiras pela prima, quase ser morta por outra prima (não tô zoando!!), ser negada a ganhar doce de uma tia, até não ganhar a sonhada boneca por falta de dinheiro. Não guardo rancor, raiva nem nada disso, tá que da minha tia ainda me resta um pouco de mágoa, mas enfim. Acredito que são lembranças que não serão apagadas porque me marcaram muito.

Claro que tenho boas lembranças, da infância não lembro muito, não entrarei em detalhes porque não quero me fazer de coitadinha.

Do Japão tenho lembranças ruins, muito ruins, boas e muito boas xD Também, passando quase 10 anos lá, quer o que?!

Tenho duas lembranças, relativamente, recentes que acho que foram as que mais me machucaram. Foram as que fizeram mais meu coração sangrar e pensar em como alguém pode ser cruel o suficiente para dizer coisas daquele tipo para outra pessoa. Mas dessas já não guardo rancor nem mágoa, já foram perdoadas, são águas passadas, mas não quero mais contato.

Das lembranças desse ano, tenho ruins e muito boas. Tenho focado em lembrar apenas das boas, mas também não sei se é o certo, já que fazendo isso acabo avivando coisas que não sei se voltarão! Quero me desprender, mas algo em mim ainda me prende... Deve ser a burrice...

Das lembranças ruins, a gente leva o aprendizado. Eu deveria ter aprendido, mas cometi praticamente o mesmo erro... Burra o suficiente para errar duas vezes para aprender. E não é a primeira vez que cometo o mesmo erro duas vezes, mas da outra vez foi outro assunto.

Eu prefiro voar pelas lembranças boas, sorrir sozinho e cada boa lembrança, do que afundar em más lembranças, se afogar em mágoas e rancores, se acabar em pensar no que deveria ter feito.

E é isso, boas e más lembranças todos temos, cabe a cada um de nós decidir qual vai ter mais espaço! =)



9 de nov de 2014

Hoje...


Hoje fui passear me sentindo gata! Sério! xDD

Eu nunca usei nenhuma blusinha frente-única, mas resolvi arriscar e comprei esse vestido na loja Ovelha Doce ! Essa loja tem modelos lindos e até que não achei caro. Tecido muito bom, super fresquinho. Na foto não dá pra ver, mas eu estava com um sapato vermelho estilo boneca que também foi barato! Pretendo comprar mais depois =)

Eu estava me sentindo muito bem e adoro quando isso acontece! Achei que com meu cabelo combinou xD Apesar de ser um modelo de roupa que nunca usei, até que estava bem confiante com ela. Estava super ansiosa para usar! Não sei se atraí olhares, mas não usei para isso, comprei e usei para minha auto-estima melhorar =)

Foi bom porque esses dias eu tenho andado meio desanimada, meio triste por uma coisinha que aconteceu... Bom, na verdade foram duas coisinhas: uma na família e a outra no "sentimental". Tinha me recuperado, mas acho que voltei a morrer aos poucos. Só que, eu quero melhorar, vou melhorar e é isso! Voltar a agir pela razão, voltar a ser sensata e parar de agir por impulso e me arrepender logo em seguida! Estava tudo indo bem, mas eu tive que ser retardada o suficiente para colocar tudo a perder novamente... Besta que só eu mesmo! Putz...

Yayoi vai voltar ao que era antes! Certeza absoluta! Talvez não exatamente como era porque muita coisa mudou, minha concepção mudou em alguns assuntos... Tipo, como estou agindo agora ou como agi há alguns meses, eu já cheguei a criticar horrores esse tipo de comportamento, inclusive, dizendo que jamais me comportaria de tal maneira e blá blá blá. No entanto... Me arrependo lindamente do que fiz, tenho vontade de bater na minha cara por ter feito isso. E aprendi a não criticar tal comportamento se não passou por aquilo. Claro que certos comportamentos vou continuar a criticar porque sei que não farei MESMO! Enfim...

Aff, comecei com um assunto e terminei em outro xD

8 de nov de 2014

Para meu próprio bem...


Essa imagem foi um grande tapa na minha cara... É, não sou inteligente. Gostaria de voltar a ser.

Gostaria também de não ser tão teimosa. Teimosa, insistindo em algo que já deveria ter parado, perigando perder e, talvez, pra sempre. Me dói ver o quanto sou besta, o quanto estou chateando e enchendo a pessoa que eu gosto! Não deveria ser assim!! Preciso urgentemente me recuperar!
Cadê aquela pessoa que ele conheceu? Ela vai voltar, sim! 

O pior é essa TPM me deixando sensível ¬_¬

Nada que eu faço é intencional. Ultimamente, ando muito... Sei lá. Tenho me deixado muito levar pela emoção e não pela razão, como antes. E isso está me prejudicando e muito. Preferia quando era movida só pela razão... O que aconteceu comigo? Por que estou agindo feito idiota? Sei que estou agindo como “gente”, mas não como Yayoi. Espera, vou explicar antes que venham falar que eu me acho superior. Não quis dizer que “gente” se comporta como idiota e que Yayoi, não. É como falei, eu sempre agi com a razão. Nunca fui de postar indiretas, tanto é que o que eu fiz nem foi proposital, era só o que estava sentindo no momento e aquela letra de música veio a calhar. Sério.


A coisa é, preciso urgentemente voltar ao que era antes. Chega de se humilhar, de exigir por atenção, de ficar me rastejando! Se for pra ser, será! Nem que demore um pouco... 

7 de nov de 2014

Preconceito e Pré-conceito


É comum entre nós, seres humanos, fazermos um pré-conceito de tudo. Sejam pessoas, comida, objeto. Nosso cérebro faz uma “pré-definição” para nos comportar diante do novo. O ruim é quando a pessoa não faz questão de conhecer e acaba levando esse pré-conceito como “verdade”, e o pior, espalhar isso!

Eu falo isso por mim, pela minha experiência. Eu sei que tem quem não gosta de mim sem nem ao menos me conhecer. Não que é obrigatório as pessoas gostarem de mim, mas primeiro me conheça e depois faça as constatações. Assumo que já fiz isso de não conhecer direito e tomar o pré-conceito como verdade, mas não saí falando nada.

Ainda que, pré-conceito é só até a gente conhecer, já o preconceito... Todos nós temos algum preconceito, é comum do ser humano. Quem fala que não tem nenhum, é mentira. Seja contra pessoas tatuadas, pessoas que usam alargador, homossexuais, mães solteiras, nordestinos, cor da pele, analfabetos, deficientes, programas do governo, e qualquer religião, e não podemos esquecer do machismo também.

Eu já tive uns preconceitos “bobos”, mas isso quando era mais nova e não entendia direito das coisas, então “absorvi” os da minha mãe. Hoje em dia, eu tento fazer minha mãe deixar esses preconceitos de lado, mas é muito difícil! Pudera, pessoas mais velhas tem mais dificuldade mesmo. Apesar de que tem jovens que são mais duros que parede de concreto! Justamente porque aquele preconceito, que muitas vezes vem da família, já está tão enraizado que pra tirar é só com muita luta!

Outro dia, na minha papelaria, veio uma mãe com a filha deficiente. Acho que era a primeira vez que elas foram. A menina olhou pra mim e então eu olhei pra ela, dei um sorriso sincero e falei “Oi!”, ela sorriu de volta e respondeu. Olhei para a mãe que sorriu para a filha e depois para mim. Por algum motivo, fiquei feliz com o sorriso da mãe. Acho que ela ficou contente por uma desconhecida ter sorrido e falado com a amada filha.
Às vezes, eu não evito interagir porque algumas mães não gostam. Eu não acho ruim e muito menos as julgo. Eu imagino quanto preconceito essas mães tem que enfrentar no dia-a-dia, olhares curiosos, olhares tortos e até, talvez, de asco. Sim, algumas pessoas olham deficientes com asco como se ser deficiente fosse uma coisa nojenta, sendo que aquela atitude que é nojenta.

Em muitos aspectos, as crianças tem muito a ensinar aos adultos, exemplo: na creche em que sou voluntária, tem duas crianças deficientes e as outras crianças adoram elas! Tentam brincar, interagir, dão carinho, as protegem. Umas mais que as outras, mas no geral, todas protegem.
Eu acho muito importante a interação com tudo desde criança. Eu sei que muitos orientais tem preconceito com negros, já eu, NUNCA tive esse problema. Por que? Porque sempre tive contato.

Tem muitas pessoas que associam moradores de comunidade = ladrões. Mas ó, garanto que não! Como posso garantir assim? Porque eu já fui e mais de uma vez! Fui quando era criança, era na irmã da empregada doméstica da minha mãe, e olha, fui muito bem tratada e por todos! Todos que frequentaram a festa (era festa de aniversário), pelo menos. Ao contrário da parte “branca” da família dela. Em uma outra ocasião, foi festa na parte “branca e rica” da família dela. Lá eu fui esculachada, fui motivo de chacota, tiraram barato mesmo da minha cara, uma criança. Eu estava quase chorando, graças a Deus, ela percebeu e me levou embora e nunca mais fui lá. Por isso que eu digo, morador de comunidade não é sinônimo de bandido, de gente ruim. Não conheço todos os moradores de comunidade, claro, mas por quê afirmar que eles são ladrões? E o caso que saiu aí dos meninos que prenderam o rapaz no poste? E os que acertaram homossexuais na Avenida Paulista? São todos da elite. E como eu li uma vez: quando ricos são chamados de jovens, pobres são chamados de suspeitos. “Engraçado”, né?

Preconceito com religião... Isso é uma coisa complicada. Muitos tem preconceito sem conhecer, e o pior: falam mal! Eu tinha preconceito com Espiritismo sim, mas fiquei sabendo e agora estou de boa e até curiosa. Eu tinha porque, quando criança, eu via e escutava umas coisas não muito agradáveis, logo, associei o Espiritismo = ver coisa feia. Quando estava no Japão, via quase todos os dias, mas esses eram tranquilos, não via nada de feio rs. Só ficava receosa quando apenas ouvia e não sei bem explicar por quê. Se eu gosto de ver isso? Bom, quando criança não gostava e nunca falei pra ninguém que eu via, mas agora de adulta não acho nada de mais =)

Acho feio e errado colocar a culpa das coisas ruins e falando mal  das outras religiões, sendo que todos acreditam em Deus e Deus é um só. Eu acredito que Ele existe em diversas formas e cada um acredita naquela forma que acha melhor. Por que só católico ou evangélico são melhores? Por que não sofrem tanto preconceito? Por que é o “certo”? Quem falou? Por que diminuir as outras religiões? Por que demonizar O Espiritismo, o Candomblé, a Umbanda? Por que acha que mexer com espírito é mexer com o diabo? Que, aliás, não tenho tanta certeza assim que ele realmente exista, mas enfim. Quando essas pessoas morrem, ela acha que vira o que? Purpurina? Claro que não! Estou protegendo? Não, eu só discordo falar mal do que não conhece. Se vier falar que é porque fazem macumba... Olha... Pessoa, te orienta! Já vi orações e cultos na TV carregados de ódio! Dizem que o demônio vai fazer tal coisa se você não fizer tal para Cristo e blá blá blá. Parecem que gostam tanto de falar do diabo que a palavra demônio aparece mais que a palavra Deus ou Jesus. Se o diabo é tão ruim por que conversar com ele ao invés de logo expulsar? Antes que me perguntem, eu já fui evangélica, hoje já não me considero mais de nenhuma religião. Eu apenas acredito em Deus e mantenho minha fé Nele, só isso. Por que não sou mais evangélica? Porque cansei da hipocrisia do meio evangélico. Ok que eu não deveria me importar com os outros, mas é difícil você frequentar um lugar em que vê e sente hipocrisia. Panelinha, tratamento diferente entre irmãos, fofoca...

Contar uma coisa: quando eu tinha uns 13 anos, a irmã da igreja falou que tinha um projeto para visitar um orfanato. Eu fiquei super empolgada na hora, mas logo murchei. Por que? Por causa do comentário da irmã que foi “Passar o dia com aquelas crianças remelentas, catarrentas e piolhentas, credo!” e logo depois ela deu um sorrisinho e falou que não era pra contar pra ninguém que ela falou isso. Eu fiquei muito decepcionada, sabe? De verdade... Seria um trabalho bonito, dar um pouco de atenção, amor e carinho para aquelas crianças. Deus é amor. Ele nos ensina a amar os outros como a ti mesmo, então por que essa discriminação? Eu, realmente, nunca contei isso pra ninguém de tão chocada e decepcionada que eu fiquei. Mas ao contrário de muita gente, não fiquei fazendo fofoquinha dessa irmã, não porque era adolescente, mas porque eu não faço isso.


O último preconceito que eu me livrei foi com o Bolsa Família, e você? =)

5 de nov de 2014

Pensando...

Bolsa Família, um bom programa do governo que ainda é muito discriminada, principalmente, por paulistas. Claro que há exceções, mas a maioria que conheço demoniza esse programa.

O problema é que as pessoas demonizam sem nem saber direito como é o programa, aliás, demonizam justamente por causa disso. Muitos acham que trabalham para “sustentar vagabundos”, isso é o que a mídia gosta de vender.

Confesso que eu mesmo, não apoiava o programa porque não conhecia e nunca procurei saber também, sim, acomodada. Mas tem uma grande diferença entre eu e alguns, eu não sabia e não apoiava, mas também não saia falando pelos cotovelos, ofendendo os menos favorecidos. Depois que me explicaram como é o programa, como realmente funciona e me mostrando algumas matérias sobre isso e mudei completamente minha visão sobre isso. Claro que eu preferia que o programa fosse melhor fiscalizado, mas enfim.

Hoje, uma cliente falou que isso está gerando uma geração de vagabundos. Tá. Outras pessoas falam que muitos não trabalham e se sustentam apenas com esse benefício. Tá. Pode ser sim, que existam pessoas que se aproveitam desse benefício, mas até aí a pessoa tem a má índole e não é culpa do programa. Pessoas com má índole, existe em qualquer lugar do mundo. Sempre vai ter aqueles que vão sujar o programa. Pessoas que se aproveitam,. Não tem só no Bolsa Família, vide o Seguro Desemprego. Pessoa trabalha 3 meses só para conseguir esse benefício. E, tenho certeza, de que se essa pessoa fizesse parte do Bolsa Família, faria a mesma coisa. Sim, bato sempre na mesma tecla porque as pessoas batem sempre na mesma tecla e nunca mencionam os sem vergonhas do Seguro Desemprego. Esses sim são vagabundos, esses sim estão mamando nas tetas do Governo. Ah sim, aqui ó, minha opinião.

A mídia só mostra o povo ruim, só para sujar o programa. A mídia não mostra que milhões saíram do programa por vontade própria. Milhões de famílias estão realmente gratas por estarem conseguindo comer todos os dias, por estar conseguindo viver, por estar conseguindo manter os filhos na escola e assim, talvez, conseguir dar um futuro melhor para seus filhos.
Muitos falam que é só uma jogada política para sempre garantir os votos. Me disseram que saiu na revista Veja que lá no interiorzão, passava um carro com alto falante, metendo o terror, dizendo que se o PT saísse do poder, eles perderiam o benefício. Então, né... Não sei se consigo acreditar nessa revista. Eu não gosto dela, acho ela um lixo, manipuladora demais, me irrita e olha que nem sou politizada, mas tudo que leio, acho merda, me irrito e nem termino de ler. Por que eu leio? Porque a gente, aparentemente, tem ganhado essa revista e por falta do que ler, acabo folheando e me arrependo logo em seguida. Então leio só a parte fútil dela xD Na verdade, acho que só acredito numa coisa dessas, vendo. Ou no mínimo indo lá nesse lugar e conversando, perguntar sobre isso. Ou, se eu não puder ir, acredito na palavra de amigos que confio, que sei que jamais mentiriam pra mim. Caso contrário, não acredito 100%, ainda mais sabendo que o veículo é manipulador.

Enfim, aqui ficou a minha opinião, já que o blog é meu, nada mais justo. Se quiser rebater, fica à vontade, contanto que não me ofenda pessoalmente e por favor, que seja com argumentos válidos!


Obrigada

2 de nov de 2014

Especiais


Momentos especiais, coisas especiais, pessoas especiais... Todos nós temos e/ou tivemos, certo?

Tenho vários momentos especiais, tanto aqui no Brasil quanto no Japão. Um dos momentos que mais gosto de recordar foi o dia da nossa despedida, no caso meu e dos meus irmãos. As palavras de cada um, até de pessoas que eu não imaginava que achavam e sentiam aquilo pela gente. São palavras que ainda ecoam na minha memória. Foi realmente muito emocionante e um momento muito mais que especial. O outro momento especial foi o nosso passeio para o TokyoDisneyland e DisneySea! Foram dois dias, simplesmente, incríveis!! Mais um momento especial foi a viagem para Seul e a visita a pizzaria do pai do Junsu! *-* O cara que nos levou é um grande mala sem alça, mas reconheço que devo isso a ele. Então, aqui vai meu agradecimento: muito obrigada, mala sem alça! xD
Tenho mais momentos especiais, claro, mas não vou expor tudo por motivos óbvios!

Coisas especiais também tenho. Os presentes que ganho, os rabiscos  desenhos que ganho das crianças.

Pessoas especiais... Ah... Bom, as crianças da creche são especiais pra mim, cada uma delas com seu jeitinho de ser. Amigas também, cada uma delas com seu jeito, cada uma especial como deve ser. E, claro, aquela pessoa... Pessoa da qual vai ser para sempre especial, independente do que vá acontecer. Pessoa da qual tive um relacionamento muito sincero. Um relacionamento especial. Momentos muito especiais.

Tomar um suco na lanchonete da esquina pode ser um momento especial. Ler um livro escutando uma musiquinha, pode ser um momento especial. Sentar na varanda, fechar os olhos e escutar uma música instrumental com a brisa da tarde batendo no rosto, pode ser um momento especial. Ou seja, seu momento especial, você quem faz, você quem decide! ;)

1 de nov de 2014

Você se ama?


Você se ama? Sabe se divertir sozinha? Assim, de verdade, não só falar que se ama da boca pra fora, querendo mostrar para todo mundo o quanto você é alegre, feliz e independente e na verdade você é miserável por dentro. Espero que tenham entendido o sentido do “miserável”.

Se eu me amo? Hm... Estou aprendendo aos poucos. Uma coisa bem importante é que eu aprendi a amar o que sou, como sou. Esse meu jeito meio bruto, nada feminino, a maneira que me imponho e toda certinha. Não finjo ser certinha, eu sou certinha. Aprendi que sou assim e se vou perder alguma coisa ou não, o problema é meu e eu quem decido se aquilo foi, realmente, uma perda. O que eu preciso aprender é gostar da minha “embalagem”, essa coisa que todo mundo vê primeiro. Pode ser que eu não atraia olhares porque eu não chamo isso, não demonstro isso, logo, passo despercebida. As pessoas com auto estima alta atraem olhares porque elas transmitem confiança! Sorriso radiante, confiança, felicidade. Eu não sorrio muito, mas uma vez, dei um sorriso de “bom dia” para uma freguesa e ela elogiou! Fiquei sem graça porque ela perguntou o motivo do sorriso bonito e não tinha nenhum motivo na verdade. Confiança em mim eu tenho e me considero uma pessoa feliz. Já passei por várias coisas, que não dá mais para ficar com mimimi com uma coisa pequena. Vamos ser felizes que é melhor! Bem melhor!

Se eu sei me divertir sozinha? Olha... Até que saio sozinha, vou ao shopping, olhar as vitrines, comprar alguma coisinha, só para me distrair mesmo. Antes isso seria quase que uma missão impossível, mas aprendi a fazer isso. Ficar só dentro de casa não dá! Só não saio mais por preguiça e que nem sempre estou inspirada para tal ato. Sim, por mais que eu saia sozinha, preciso estar inspirada. O bom de sair sozinha é que não tem ninguém te apressa, não tem ninguém buzinando no seu ouvido, pode andar no ritmo que quiser.

Não é certo, você se amar só porque a outra pessoa te falou. Enxergar suas qualidades só porque a outra pessoa falou ou então, acreditar nisso só quando a pessoa amada fala. Não é certo, você apoiar sua felicidade e “auto estima” em cima de algo que você pode perder. Não, você tem que ser você por você e ser feliz em conjunto, compartilhar da felicidade.


Tá, eu sei que o que complica são os malditos rótulos que a sociedade nos impõe. Mas tenham em mente que independente de como você é, vai haver comentários, preconceitos, vão falar de qualquer maneira, então vista sua camisa e seja feliz!!